Segunda-feira, 25 de Setembro de 2006

AJUDA-ME…

 

Ajuda-me…
a fazer luto do silêncio!
Ajuda-me…
a compor palavras de vento
dispersas por serras vazias de amor!
Ajuda-me…
a acender a lareira, queimar papéis
gastos no tempo, e que cantam palavras
esgotadas de pedir-te!...
Ajuda-me…
a abrir os braços à chuva,
molhar o rosto de sal
e, naufragar!
Ajuda-me…
a não lamentar as percas,
a não sofrer os espinhos cravados nas mãos,
e não ensanguentar as lágrimas!
Ajuda-me…
colocando no meu corpo o peso do escárnio,
da insensatez, do desamor,
empurra-me no nevoeiro do recanto, e faz-me
comer as memórias!
Ajuda-me…
a silenciar os cânticos do mar, do vento,
da tempestade, e embrulha o meu corpo
no manto do pecado!
Ajuda-me…
a atirar as rosas ao mar…
elas ajudar-te-ão a secar as lágrimas do perdão!
Não me ajudes…
a conhecer a decisão final
porque ela está escrita na palma da tua mão!…


©{{coral}}
... escrevinhando…
Reservados os direitos de autor
Textos e poemas registados na SPA

música: Do blog dedicada ao anjo da minha vida
publicado por {{coral}} às 22:13
link do post | As vossas palavras são importantes! | favorito
|
11 comentários:
De luis nunes alberto a 25 de Setembro de 2006 às 23:05
Ave Maria cheia de graça o senhor esteja contigo e te ajude sempre
De acbelix a 26 de Setembro de 2006 às 00:35
Quando uma dádiva com tanta entrega é feita, o ajuda-me é mesmo o grito de alarme do peito a rebentar a magia do amor.
Queria eu que alguem gritasse menos do que tu, e lhe daria o mundo.

Mil beijos
Miro
De carla a 26 de Setembro de 2006 às 02:50
Foi o poema de amor sofrido mais lindo que eu li nestes ultimos tempos!!!....
Parabêns!
Tá intensamente gritante!!!
Beijo
>*<
carla
De Marluce a 26 de Setembro de 2006 às 03:01
{{coral}}

dando continuidade aos comentários anteriores, é uma dádiva ler palavras desta intensidade, deste lirismo puro, já estou como a pessoa que diz - Avé Maria cheia de graça - merece ser abençoada pela luz de Deus.
Um grito arrancado da sua alma, um envolver de espinhos cravados nas mãos, expressões como esta, só mesmo com todo o sentimento e sofrimento.
É um poema espectacular.
Bem haja poeta, boa noite
Marluce


De Frog a 26 de Setembro de 2006 às 10:16
A decisão final está oclusa na hegemonia da sombra que envolve a palma da tua mão, no negro que é onde todas as cores repousam...

É a primeira vez que aqui venho Coral. Quero felicitar-te pela qualidade da tua poesia. Excelente!

Um beijo
De Filipa a 26 de Setembro de 2006 às 21:28
{{coral}}
Faz muito tempo q não lia poesia tão sentida, cheia de força, enfim, tão linda.
Muito bom poema acompanhado pela linda foto e musica, uma conjugação fantástica.
Beijo
Filipa
De Mimi a 26 de Setembro de 2006 às 21:51
Parei, escutei, li e reli o poema muitas vezes, fiquei parada na foto escutando esta música que é das coisas mais lindas desta cantora mágica, fiquei tão arrepiada porque fechei os olhos e o filme deslizou na minha mente.
coral digo-lhe só uma pequena coisa (MAGNIFICO).
Muito obrigado por tanta sensibilidade junta.
Um abraço
Mimi
De Minerva McGonagall a 26 de Setembro de 2006 às 23:15
Pois resolvi passar e comentar. O teu grito - pedido de ajuda, acorda a alma do mais profundo amor adormecido. Só tu poetisa inspirada para colocares aqui um sentimento da alma tão profundamente intenso. O pedido é legitimo, o grito também. Mas acredita que a vida te vai ouvir quem sabe um dia ao virar mais uma página ou a começar mais um capitulo desta vida que levamos em cima de um palco em que estamos sempre nas luzes da ribalta e onde o útimo aplauso já não escutamos. Mas recebemos todos os outros com a maior das alegrias e o maior dos sorrisos que conseguimos mostrar a todos. Beijo grande de quem te tem no coração há miuto como amiga especial.
De Luisa Amaral a 27 de Setembro de 2006 às 00:34
Ó colega querida,
Não vim uns dias aqui e vejam só as diferenças.
Música maravilhosa, poema de arrasar, foto de deslumbrar, querem lá ver que tenho de começar a inventar um novo dicionário de elogios???? :))).
Só tu ó alma de magia consegues colocar as pessoas a chorar e a cantar assim. Quero que este poema seja um hino, é realmente como te dizem em comentários anteriores - Uma Avé Maria Cheia de Graça - MAGNIFICO - que palavras tão próprias para te desenhar as mãos abençoadas.
Felizes os que te têm por perto, e que saibam sempre reconhecer que és divina, pura de sentimentos, pronta para dar tudo e ficar sem nada, apaixonada pelo homem lindo que te dá luz aos olhos, em lágrimas ou em alegria. Desejo ardente é que consigas tê-lo sempre ao teu lado com todo o amor, como tu o amas assim perdidamente cravando na tua alma as rosas.
Já ando a ficar poética :))))))
Agora deixo-te um beijo grande minha amiga.
Luisa Amaral
De Alexandra a 27 de Setembro de 2006 às 01:42
Os corais brilham nas palavras que ficam sublimes nestes versos que transcrevo:

#Ajuda-me...
colocando no meu corpo o peso do escárnio, da insensatez, do desamor, empurra-me no nevoeiro do recanto, e faz-me comer as memórias.#

Um recanto que deve ser encantado de memórias.
Este poema é sublime pela força que transmite a quem o lê.
Os corais brilham em todas as palavras.
Obrigado pela partilha.
Um beijo
Alexandra


Comentar post

.Devagarinho se caminha...

.{{coral}}

.

.As minhas palavras...

. OS ANOS PASSAM...

. ESTA OUSADIA...

. A TUA AUSÊNCIA...

. E LÁ GANHÁMOS...

. DESENHA NO MEU CORPO...

. Silenciosamente!

. ABRO O BOLSO...

. AO MEU PAI!

. A TARDE ACONTECE...

. NO DIA DA MULHER

. PARA TI

. AMA-ME NOS AROMAS...

. DEIXA...

.arquivos

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.Poemas Ditos da {{Coral}}


Escutem os poemas em "Lugar aos Outros 30" 07-12-2006

.favoritos

. DIA MUNDIAL DA POESIA

.as horas no silêncio...

.As visitas ao meu blog


contadores de visitas

.Calendário

.Os cantinhos de magia...

.Vozes...