Sexta-feira, 29 de Setembro de 2006

SE EU NÃO VOLTAR, NÃO CHORES!

 

Se eu não voltar, não chores!
recorda apenas os nossos dias de sol,
os nossos suores, os nossos sorrisos,
as chuvas que acolheram o amor que nos demos!
Sorri à minha sombra fugidia
e vive, vive profundamente
envolto no verde das tuas lágrimas,
na esperança peregrina de bem pensar,
na esperança dum amanhã melhor!

Sinto que vou partir,
mas se não voltar, não chores!

Vou partir para muito longe, mas
acompanhar-te-ei por toda a parte,
guiarei tua escuridão para a Luz,
limparei teu coração de mim,
para que ele volte a AMAR
libertarei teus pensamentos e,
voltarás a sonhar!

Sinto que vou partir,
mas se não voltar, não chores!

Limpa as lágrimas que caem na tua face
não chores por mares que não merecem,
não sejas rogado aos sorrisos,
não sabe bem chorar por quem não merece!
Sabe bem sorrir à lua cheia, gritar ao rio
os teus lamentos, as tuas desventuras,
as tuas palavras, enfim… escuta-te!

Sinto que vou partir,
mas se não voltar, não chores!

Limparei teu coração de mim,
habitarei nas tuas recordações,
de novo virá alguém,
alguém que te dará ilusões, e
tu renascerás para o AMOR!

Sinto que vou partir,
mas se não voltar, não chores!

Parto de mansinho...
para não acordar o teu sonho!


©{{coral}}
... escrevinhando…
Reservados os direitos de autor
Textos e poemas registados na SPA

 

 

publicado por {{coral}} às 01:21
link do post | As vossas palavras são importantes! | favorito
|
5 comentários:
De acbelix a 29 de Setembro de 2006 às 01:38
Esse poema queria te-lo escrito eu, a mulher que amo, e dizer-lhe exactamente por essas palavras, que so se da conta do que se tem quando as vezes é tarde demais, e é esse tarde demais, que faz sofrer durante imenso tempo, nos tras a nostalgia dos momentos únicos do amor, que nos tras as lembranças do passado, com quem disfrutamos algumas passagens belas, e sensiveis.
Para a mulher que eu amo, apenas posso dizer-te pelas tuas palavras que acorde se puder, pois as vezes, o sono em que nos envolvemos, é porque nos deram sonoriferos, e nao nos deixam ver o verdadeiro amor.
Coral, agradeço essa tua sensibilidade, e as tuas palavras que assentam bem, no que eu sinto pela mulher de quem nao me deixam ser homem, e feliz.
Mil beijos... respeitosos pois embora ela estej com indecisões, confia cegamente em mim, e talvez por isso eu a vlorize demais..
De JJ a 29 de Setembro de 2006 às 21:42
{{coral}}
Limpezas de alma são tão duras quando se ama profundamente. Este poema é duro para quem quer que seja dirigido, se a pessoa o ler sente o pessimo dentro de si (dele), serão chamas de dores que acendem o coração, ou serão chamas infernais de diluir no tempo!
Muito bom poema, ja recomendei a sua página em diversos sites e blogs, uma página como esta merece destaque no mundo da poesia e dos blogueiros.
Um até já
JJ
De woman's secret a 30 de Setembro de 2006 às 23:18
Não temas meu amor... não são lágrimas que derramo, é o ondular do mar, que banha o meu olhar...

Deixo um beijo e desejo um bom domingo
De Alexandra a 1 de Outubro de 2006 às 03:48
Mar,
sempre o mar atravessando as linhas do papel,
mar que banha corais cheios de cores magnificas.
A calma da música acende a luz que fica transcrita
"Limpa as lágrimas que caem na tua face, não chores por mares que não merecem, não sejas rogado aos sorrisos," Se eu não voltar, não chores!
Dizer mais o que?... não direi.
Belas escolhas nesta página.
Um beijo
Alexandra
De carla a 2 de Outubro de 2006 às 23:08
Muitos dias de sol para ti minha querida...
Bjoca
>*<
carla

Comentar post

.Devagarinho se caminha...

.{{coral}}

.

.As minhas palavras...

. OUTONO...

. OS ANOS PASSAM...

. ESTA OUSADIA...

. A TUA AUSÊNCIA...

. E LÁ GANHÁMOS...

. DESENHA NO MEU CORPO...

. Silenciosamente!

. ABRO O BOLSO...

. AO MEU PAI!

. A TARDE ACONTECE...

. NO DIA DA MULHER

. PARA TI

. AMA-ME NOS AROMAS...

.arquivos

. Novembro 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Julho 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.favoritos

. DIA MUNDIAL DA POESIA

.as horas no silêncio...

.As visitas ao meu blog


contadores de visitas

.Calendário

.Os cantinhos de magia...

.Vozes...