Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Palavras da coral

"Um mar de palavras de onde sairá uma tela colorida." "O mar é a minha inspiração, é o meu refúgio nas boas e más horas, descansa-me… e recolhe-me! O mar será sempre a minha casa… e

Calendário

Vozes...

29
Dez06

ABRIMOS A PORTA…

{{coral}}

 

Abrimos a porta
ao novo ano…
comungamos os desejos,
carregamos os sorrisos,
apertamos a solidão,
que disfarçada, nos assola!
Abrimos a porta,
entra o ano novo…
festejamos sentimentos,
unimos as mãos em luz,
navegamos neste recanto de mar,
chega a esperança!
A solidão tropeça
nos rostos sorridentes,
o céu recebe um suspiro,
entrego-te meu coração e,
digo ao vento…
nasce da manhã o Ano Novo!
 
 
©{{coral}}
…escrevinhando…
 
Não posso deixar de agradecer, a todos os visitantes
deste meu cantinho, que em 2006, me deram a honra
de acarinhar as minhas palavras, partilhando comigo
tantas emoções.
 
Desejo a todos um 2007 cheio de realizações.
 
FELIZ ANO NOVO
 
{{coral}}
26
Dez06

AMA-ME

{{coral}}

Ama-me...

nos aromas deste Inverno,

onde a chuva nos lava,

onde as folhas nos cobrem,

onde todas as essências,

nos envolvem com cheiro de lareiras,

enchendo nossas almas!

Ama-me...

nos aromas deste Inverno,

onde o mar enfurecido,

bate nas rochas…

gravando com carinho,

nossos nomes... tão unidos!

Ama-me...

nos aromas deste Inverno

onde as estrelas da noite sorriem

com sorrisos rasgados,

quando nos cobrem em Amor!

Ama-me...

onde o calor dos lençóis de linho

guardam o que neles se passa!

Ama-me...

nos aromas deste Inverno,

Ama-me...

nos aromas de todas as Estações!

Ama-me...

na plenitude de toda a nossa vida...

na plenitude de todo o nosso amor!

Ama-me!

©{{coral}}

… escrevinhando…

Reservados os direitos de autor

Textos e poemas registados na SPA

 

 

 

17
Dez06

NATAL SERENÍSSIMO...

{{coral}}

 

Este natal, fez-me recordar que quando somos mães,
tudo ganha um sabor diferente.
O meu filho mais velho nasceu em Abril.
O primeiro natal do Nuno, é uma lembrança deliciosa,
tinha 8 meses, e já gatinhava…
Eu lá fiz a decoração da nossa árvore, fiz o presépio,
tive o cuidado de colocar musgo do campo… que apanhei,
como ainda hoje faço!…
O Nuno, o Miguel, e a Patrícia, vivem sempre esta quadra
com uma alegria muito mágica.
Sempre cuidei do nosso natal com fantasia, luz, emoção,
os presentes que eu inventava, e invento… tão disfarçados!...
Mas, voltando ao célebre, primeiro natal do Nuno, ele aprendeu
a ver as luzinhas a piscar, a tocar no musgo, com algum receio,
e quando o perdeu, deliciava-se a comê-lo.
Ainda hoje, consegue comer batatas cruas, por incrível que pareça!
Passados três anos…chegou o meu filho Miguel, e as malandrices
continuaram, e três anos mais tarde, chegou a menina dos olhos
doces, a minha filha Patrícia.
São estas as minhas luzes, que me fazem viver a magia do natal.
Todos os anos lembramos natais anteriores, em que eu sempre fiz
as minhas diabruras com os presentes deles, e ainda hoje continuo
a fazê-lo de forma a que não consigam adivinhar o que os presentes
contêm.
É bom surpreendê-los…
Voltamos a ter mais um natal frio, com a ausência de alguns entes queridos
que já não estão entre nós, mas eu adoro ver os meus filhos tão crescidos,
com aquele brilho nos olhos… a desembrulharem as surpresas que sempre
lhes preparo com todo o amor.
Este ano resolvi contar um pouco do meu natal, e dos meus filhotes.
 
Desejo a todos um Santo Natal, e que 2007 seja um ano melhor, mais sereno,
com mais amor, e reine a Paz que tanto precisamos.
 
 
 
{{coral}}
12
Dez06

LINHAS SOLTAS…

{{coral}}

 

No vaguear pela tua pele
é o soltar acordes de guitarra,
cantados no fado da vida,
com percursos de marés cheias!
Devorada pelo instinto de fêmea
Solto gemidos no infinito,
embriagada pelo som das ondas,
no procurar o renascimento
do meu corpo, enlaçado no teu!
O tempo passa apressado
sem meditação idónea,
neste coração de extremos sensíveis,
tão audíveis á paz!
E, neste acordar de sentires…
procuro o teu quente na cama,
que se gela de ti!...
Hoje o meu corpo,
aguarda p’lo teu…
nossa praia aguarda maré vazante…
todas as esperas são de louvar… e,
na hora que me abraces,
chores nos meus olhos,
beijes nossos beijos,
caminharemos juntos
no vaguear da nossa pele!



©{{coral}}
...escrevinhando…
Reservados os direitos de autor
Textos e poemas registados na SPA

10
Dez06

OLHAR...

{{coral}}

 

Tento não olhar
esse teu olhar
e, neste poema não te cantar!
Tento disfarçar nas linhas,
deste pobre poema,
o verde marinho
que me quer penetrar!... mas,
nessa íris correm, o céu, os
rios, mares, montanhas, e vales!
São cursos desequilibrados
nesse teu eterno olhar,
tanta luz que irradia
no percurso deste mar!
Nesse olhar dormi…
era noite de luar!...
Nesse olhar acordei…
uma manhã de nevoeiro,
em que o sol queria raiar!
Como posso perder o teu olhar?
É ele que me dá o céu,
é a minha luz no mar
a coberto do nosso véu!
E,
perante o teu olhar,
neste meu segredo confessado…
adormeço…
porque neste poema
não te vou cantar!



©{{coral}}
... sempre a escrevinhar…
Reservados os direitos de autor
Textos e poemas registados na SPA

05
Dez06

EXISTEM LUGARES…

{{coral}}

 

Existem lugares,
que para mim são vazios.
Já visitei lugares,
que para mim foram preciosos,
capazes de me gravar neles,
me embalar, e de contínua visita em espirito.
Já visitei caras.
que para mim nada significaram, outras
que registo na memória dos meus passos.
Já visitei teu corpo,
e esse está em mim,
nos registos de tempo quente,
invernos bem molhados,
primaveras cantantes e,
outonos  amarelecidos.
Um corpo que nunca passa despercebido,
que conheço centímetro a centímetro,
em cada sinal, cada gesto, cada palavra,
cada ruga, em todas as atitudes precipitadas,
ou em cada acto de amor.
Teu corpo vive para dar calor ao meu,
sente cada passo que dou,
cada incêndio que provoca,
cada silêncio que imprime nas ausências.
Existem lugares,
que por muito cativantes, se apagam… naturalmente,
mas existem lugares, que nunca vão sair de mim…
teu corpo é um dos lugares que jamais sairá de mim,
nem as ausências me farão esquecê-lo.
Teu corpo reside em cada passo meu,
em cada gesto, em cada atitude!...
Teu corpo é, e será sempre meu…
mesmo que a distância se implante em nós!
Teu corpo será sempre um local
de visita perene!



©{{coral}}
... escrevinhando…
Reservados os direitos de autor
Textos e poemas registados na SPA

 

02
Dez06

JUNTO Á PRAIA

{{coral}}

 

Junto á praia,

saltam os novelos de espuma,

os sorrisos das crianças,

que desafiam a areia molhada,

os casais de mão dada,

a temperatura dos sentimentos,

que se complementa na foz.

Correm as águas agrestes do rio,

caminhante solitário

apertado nas margens,

solto por debaixo das pontes.

Tanta sensualidade,

buscada no murmúrio dos caminhos,

uivos soltos de prazer,

vestindo corpo de lobo astuto.

Junto á praia,

nossos corpos se entregam,

na mistura de suores,

em jogos de malícia,

que fazem brilhar teus olhos

de verde transparente.

Junto á praia,

existe sempre uma temperatura escaldante,

uma envolvência fervente,

um sensual perfume

que cativa o sol,

deslumbra a lua, e

faz de ti… homem rendido.

Junto á praia,

tudo se passa…

nada se esquece,

tudo se transforma!...

O mundo gira em nosso redor,

nós adormecemos…

em calor, e embalados pela sétima onda!

©{{coral}}

... escrevinhando…

Reservados os direitos de autor

Textos e poemas registados na SPA

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

{{coral}}

.

as horas no silêncio...

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D